Set
23

Música & Psicanálise : Analisando a Linguagem Musical - Com Caio Garrido

Sábado, 23 de Set de 2023 - 11:00

Em -306 dias

Bate papo com o psicanalista e escritor Caio Garrido + pocket show

com Alexandre Peres Trio

 

O encontro pretende abordar e buscar unir algumas pontas da música, e mais especificamente a partir do Jazz e da música instrumental brasileira, partindo daquilo que chamamos por composição e improvisação, e caminhando em direção à produção de emoção, no intuito de buscarmos compreender os impactos emocionais sobre músicos e ouvintes. A pauta da palestra e do concerto didático (pocket show) se dirigirá à músicos e ouvintes,  leigos em teoria musical ou não; assim como para o público da Psicanálise e da Psicologia, que pode ser composto por psicanalistas, psicólogos, estudantes da área e entusiastas, assim como os demais interessados. A linguagem a ser apresentada será a mais didática e coloquial possível, para que todos possam integrar os conhecimentos adquiridos às suas próprias experiências pessoais e subjetivas.

Em que consiste a emoção produzida a partir dos encontros musicais? O que se passa no músico e no ouvinte? Tal campo emocional pode também ser pensado ou somente experimentado?

Os mistérios da música, assim como os enigmas sobre o humano lançados para e pela Psicanálise, foram objeto de exaustiva abordagem por todo tipo de pensadores, desde filósofos até poetas.

Schopenhauer, por exemplo, postulava que a música era como uma emanação direta da “vontade” (ideias platônicas, vontade cega e irracional), uma linguagem universal anterior a todas as outras linguagens, plásticas ou verbais.

Para um psicanalista brasileiro, que foi Fábio Herrmann, a música não existe por si só, existe interpretada. Assim como também a interpretação psicanalítica, segundo ele, recria uma fantasia inconsciente que expressa uma partitura não executada.

O que nos parece universal, ou condição sine qua non para a música existir, é a presença de uma dimensão que contenha significado emocional; o que conduziria à consequência de podermos melhor observar o impacto das sonoridades sobre a vida emocional no sujeito. A música é um espaço potencial para novos significados. Afinal, os solos e improvisos costumam contar uma história, ainda que sem palavras. Mas o grande paradoxo é que, ao mesmo tempo, de todas as artes, a música é a que menos clama por uma busca de significado ou interpretação.

Um outro psicanalista, Leonardo Luiz, autor do livro “Música no Divã”, toma o privilégio em mãos, quando diz da liberdade que é da natureza da improvisação, ao afirmar que a liberdade formal do improviso no jazz representa determinados desejos de liberdade em relação à autoridade social.

Para um outro autor, Lichtenstein (“A retórica da improvisação: discurso espontâneo no jazz e na psicanálise”), o aspecto sublimatório do jazz tem a ver com a bem sucedida junção entre invenção e ordem.

Resumindo, para este encontro, a análise da teoria musical, combinada a alguns conhecimentos psicanalíticos, com respectivos exemplos práticos de músicas e conceitos de improvisação (na música e na vida), assim como a exemplificação no concerto didático das partes de uma música em sua forma jazzística, como a distinção entre tema e improviso, poderá promover uma melhor compreensão do todo de alguns mecanismos presentes na composição e suas funções. Usando analogias entre harmonia musical – com suas respectivas sequências e conjuntos de acordes – e aspectos significantes de conhecimentos já bem estabelecidos do humano, como os advindos do mundo psicanalítico, este evento buscará ampliar as perspectivas de como ouvir a música e as melodias da alma. Contaremos no final com o concerto didático (um pocket show) da banda Alexandre Peres Trio. Uma jam session de muita música e reflexões.

 

 

 

 

Ministrante/Curadoria: Caio Garrido

Caio Garrido é psicanalista e escritor. É idealizador da Ubuntu Psicanálise, e mestre em Ciências pelo Programa interdisciplinar em Ciências da Saúde da Unifesp – Baixada Santista –, com o tema dos sonhos (sonhos noturnos a partir da Psicanálise). Foi editor geral de Revistas de Psicanálise. Tem sete livros publicados, entre romances, poemas, crônicas, e textos de não-ficção, entre eles: “Paniricocrônicas: Crônicas dos Sonhos em Tempos de Pandemia” (2021, Ed. Patuá), contemplada pelo programa ProAC. Lançou em 2022 o livro em coautoria com Fábio Zuccolotto, chamado “A Nova Era Tecnológica: Redes sociais, Inteligência Artificial & Realidade Virtual”, de viés psicanalítico e social, pela ed. Letramento. Na área musical, além de tocar bateria, foi colaborador da Revista Modern Drummer Brasil. E um texto de sua autoria publicado no livro “Loucos por Música” (Ed Patuá, 2018), organizado por Leonardo Luiz. Está lançando seu mais recente livro, chamado “Marés”, de poemas, pela ed. Folheando.

 

Alexandre Gonçalves Peres é músico compositor, natural de Ribeirão Preto, formado pelo curso de MPB/JAZZ no Conservatório Dr. Carlos de Campos (Tatuí- SP). Como instrumentista apresentou-se com grandes nomes da música brasileira, dentre eles Nailor Proveta, Nelson Sargento, Germano Mathias, Oswaldinho da Cuica, Herminio Bello de Carvalho, Toninho Carrasqueira,  Fabiana Cozza, Ronaldo do Bandolim , Joel Nascimento, Izaias Bueno, Monarco, Nei Lopes  entre outros